Alberto Fernandéz, presidente da Argentina, assinou com Sebastian Piñera, presidente do Chile, um acordo para a construção de um cabo submarino Transpacífico. “Este acordo nos permitirá fazer conjuntamente a construção de um cabo óptico submarino que ligará Chile, Argentina e América do Sul a Austrália, Nova Zelândia e Ásia”, disse Piñera em entrevista coletiva.

Chamado de “Puerta Digital Asia Sudamérica”, o cabo de fibra óptica sairá de Valparaíso, uma cidade da costa chilena, e seu projeto será conduzido pela Arsat, estatal argentina de telecomunicações.

Sebastian Piñera explicou que o objetivo é ampliar a capacidade dos países de se incorporarem plenamente à sociedade digital global. O governo argentino destacou em nota que o intuito é dar acesso digital aos países sul-americanos, tendo o Brasil como principal mercado, e a países da Ásia-Pacífico sem precisar passar pelos Estados Unidos ou pela Europa.

O valor do aporte financeiro de Chile e Argentina no projeto ainda não foi divulgado.

Cabo ligará Brasil e Europa

No dia 14 de dezembro de 2020, um cabo submarino de fibra óptica foi ancorado na Praia do Futuro, em Fortaleza. Ele ligará a cidade cearense a Sines, em Portugal, e permitirá o tráfego de dados de 72 terabits por segundo e latência de 60 milissegundos.

O projeto tem expectativa de conclusão para meados de 2021. Segundo o Ministério das Comunicações, o cabo ainda se estenderá para pontos no Rio de Janeiro e em São Paulo, além de conexões na África e em outros países europeus, ilhas do Atlântico e Guiana Francesa.

A ancoragem do cabo aconteceu nesta segunda-feira (14), na Praia do Futuro, e o projeto tem expectativa de conclusão para meados de 2021. Segundo o Ministério das Comunicações, o cabo ainda se estenderá para pontos no Rio de Janeiro e em São Paulo, além de conexões na África e em outros países europeus, ilhas do Atlântico e Guiana Francesa.

“Temos hoje um cabo que já faz essa conexão, mas de voz, entre Brasil e Europa, que passa pelos Estados Unidos, mas que já tem mais de 20 anos. A vida útil de um cabo de fibra óptica que faz esse tipo de tráfego, ele tem uma durabilidade em torno de 25 anos”, explica o ministro das Comunicações, Fábio Faria.

A instalação do cabo submarino será feita por uma empresa privada, a Ellalink, e custará R$ 1 bilhão. O cabo tem 6 mil quilômetros de extensão, podendo chegar a 5 quilômetros de profundidade em alguns locais. Atualmente, a comunicação entre Brasil e Europa passa antes pelos Estados Unidos, o que dobra o caminho percorrido: 12 mil quilômetros.

“O Brasil é um dos países que mais produz dados no mundo, e com o 5G nós teremos um aumento ainda maior. Então, nós precisamos de escoamento”, completa Faria.

Entenda a importância dos cabos submarinos

É bastante provável que você já tenha ouvido falar de cabos submarinos. Eles são usados em trechos de mar para ligar estações terrestres e, assim, transmitir sinais de telecomunicações por longas distâncias. Para isso, são instalados no assoalho oceânico.

Esses cabos recebem proteção mecânica adicional para que sejam instalados sob a água: normalmente, têm interior de aço e isolamento especial. Eles podem ser metálicos, coaxiais ou ópticos — os mais utilizados atualmente.



Monday, February 1, 2021

« Retornar